Bayer e Monsanto: fusão consolida posicionamento estratégico

Hoje, no Brasil, a Bayer conta com aproximadamente seis mil colaboradores presentes nas fábricas, centros de pesquisas e unidades de negócio, espalhados em 12 estados do país. A empresa atua em Camaçari com uma unidade voltada para a divisão de Crop Science, que representa 80% do faturamento da companhia. Em uma perspectiva global, no ano de 2018, seus investimentos totalizaram 2,6 bilhões de euros e as despesas com pesquisa e desenvolvimento somaram outros 5,2 bilhões, ajudando a Bayer a fechar uma receita anual no Brasil, no mesmo ano, da ordem de R$ 15 bilhões.

A partir de outubro de 2001, a empresa investiu mais de U$ 350 milhões na unidade de Camaçari, que possui uma área total de 631.000 m² e conta com 176 colaboradores efetivos e estagiários, além de 170 terceirizados. 

“Desde o ano de inauguração da unidade, mantemos 40% do nosso quadro de colaboradores sem alterações, número que atesta o vínculo e compromisso da empresa com o desenvolvimento local. Atualmente, cerca de 324 famílias são impactadas pelas operações da Bayer em Camaçari e região”, pontua Paula Castro, líder da Unidade da Bayer em Camaçari. 

Integração

Segundo ela, a Bayer, que completou um ano de fusão com a Monsanto, já conseguiu integrar as operações comerciais e outros processos internos de forma muito positiva. "Ainda temos muito trabalho pela frente, mas os resultados até agora são muito satisfatórios”, sinaliza.

A fusão, diz Paula, consolidou o posicionamento de empresa voltada para as Ciências da Vida, com foco em saúde e nutrição. “A Bayer é agora a empresa mais capacitada para conduzir a nova transformação do campo, a digitalização. Estamos empenhados em inovar para trazer cada vez mais qualidade de vida, melhorar a saúde e a nutrição da população mundial”, esclarece.

O ajuste da cultura das duas empresas e as mudanças já realizadas e em andamento estão sendo muito positivas. A Bayer se preparou para isso e criou uma área na empresa exclusiva para acompanhar os aspectos culturais de ambas as empresas para prepará-las para o entendimento destas diferenças e para sensibilizar as lideranças, bem como toda a organização, para lidar com as transformações no dia a dia. 

"Antes de trabalhamos juntos, as empresas já tinham conhecimento sobre similaridades, complementaridades e diferenças do ponto de vista de agilidade, processos, clima, etc... Com isso, foi possível prever os desafios que seriam enfrentados a partir da integração e isso permitiu que a companhia se preparasse para as mudanças”, explica.

As diretrizes são conjuntas e orientam todas a linhas de atuação. Nas relações internas, existe uma política bastante sólida com o objetivo de garantir a diversidade e o respeito no ambiente corporativo. 

"Nesse sentido, na unidade de Camaçari, temos uma governança de inclusão e diversidade que, atualmente, está baseada em cinco pilares no Brasil: LGBT+, Pessoas com Deficiência, Mulheres, Etnias e Gerações.  Por meio desses networks, os colaboradores podem expor seus pontos de vista, discutir a igualdade de oportunidades pelas minorias e, como consequência, disseminar e perpetuar o respeito às diferenças. Entre as empresas do Polo Petroquímico, por exemplo, a Bayer foi a primeira  a contratar mulheres e iniciar as atividades na planta com

 colaboradoras”, afirma Paula. 

Responsabilidade social

O relacionamento com as comunidades vizinhas é outro destaque da unidade de Camaçari, onde a Bayer tem um compromisso profundo com o município e  com a região, assim como com a qualidade de vida dos trabalhadores e suas famílias, conduzindo uma série de ações com o objetivo de impulsionar o crescimento econômico local, além de realizar ações filantrópicas que beneficiam centenas de famílias.

"Atuamos nas cidades de Camaçari, Dias d’Ávila e Salvador promovendo palestras, workshops, educação ambiental, recebendo visitas técnicas na fábrica e participando de grupos e comitês com representantes da comunidade civil e governamental”, exemplifica a líder da unidade baiana. 

Ela também ressalta que tanto em Camaçari quanto nas outras unidades a segurança é mais uma prioridade da Bayer. Desde a busca por melhorias contínuas nos processos e práticas que assegurem condições favoráveis de operação no dia a dia da companhia até o incentivo a comportamentos que garantam a segurança, a saúde e o respeito ao meio ambiente por meio de ações educativas. Além disso, em Camaçari, a Bayer também busca garantir o uso correto de custos e recursos, eliminando perdas e gerando economia com essas estratégias de sustentabilidade, prezando, ainda, pela redução dos impactos ambientais. 

“Garantir às futuras gerações o mesmo acesso aos recursos básicos que temos na atualidade para que consigam atender suas necessidades diárias é a principal premissa da sustentabilidade da Bayer. Para contribuir com essa meta, desenvolvemos uma série de iniciativas voltadas para reduzir os impactos das atividades da empresa no meio ambiente e colaborar com o desenvolvimento social de Camaçari e região”, declara Paula Castro. 

Educação ambiental

Ela conta que no terreno da Bayer há uma reserva ambiental certificada pelo Wildlife Habitat Council (2018) com mais de oito hectares de plantas nativas da região, ação que faz parte do Projeto Florescer, uma iniciativa desenvolvida com o objetivo de restaurar a Mata Atlântica, uma das biodiversidades mais ricas em biomas brasileiros, e promover a educação ambiental, oferecendo cursos para jovens da comunidade.

“A Bayer possui importantes iniciativas de sustentabilidade no município que, inclusive, receberam certificações. Como o Prêmio Eco Brasil Amcham 2017 e 2018, com o Projeto de Captação de Água de chuva, atividade que visa captar 100% da água, tratá-la e transformá-la em água clarificada para reaproveitamento no processo produtivo. Como resultado, tivemos o reaproveitamento de mais de 600 milhões de litros de água, quantidade suficiente para abastecer Camaçari por mais de um mês, gerando uma economia de mais de R$ 2,5 milhões de reais, desde 2010”, declara.

O trabalho em prol da responsabilidade social no desenvolvimento das comunidades também é realidade e um pilar essencial para as operações da Bayer não só em Camaçari, como em todo Brasil. Paula diz que a empresa acredita que o investimento em ações de incentivo à conscientização ambiental, esporte e educação é o caminho para muitas mudanças positivas, por isso desenvolve uma série de projetos na unidade. Entre elas, um grupo de voluntariado, formado em 2001, que já desenvolveu mais de 200 ações nas cidades de Camaçari, Dias D’Ávila e Salvador, impactando mais de 20 mil pessoas. O Programa Portas Abertas é outro exemplo que contribui no relacionamento com as comunidades, através de visitas guiadas. Em Camaçari, o projeto teve início em 2005 e, a cada ano, recebe cerca de 250 pessoas.

“Temos ainda um programa de relacionamento com as universidades, que conta com um diferencial fundamental: o envolvimento dos colaboradores das diferentes áreas de negócios na linha de frente e nos eventos nos quais a Bayer está presente. Essa iniciativa estreita o relacionamento com universitários, dividindo conhecimento e oportunidades profissionais, atraindo talentos e fortalecendo a marca Bayer no mundo acadêmico. Por ano, impactamos em média 800 universitários”, completa.

O engajamento da Bayer vai além do setor. A empresa incentiva projetos culturais, com recursos captados junto ao Ministério da Cultura do Brasil, formação de bibliotecas, coral de pequenos cantores e diversas ações de alta relevância para a empresa, colaboradores e a sociedade, fortalecendo o desenvolvimento das comunidades locais.

COFIC DIGITAL - EMPRESAS PATROCINADORAS
PROGRAMAS COFIC
Rod. BA 512, Km 1,5 - Fazenda Olhos D'Água - Camaçari-BA. - Cep. 42810-440