Utilizamos cookies para otimizar e facilitar a sua experiência de navegação neste “site”. Ao ter acesso aos conteúdos do nosso Portal, você está concordando com a nossa política de cookies e privacidade. Leia Mais.

Empresas do Polo compartilham experiências no Fórum de Sustentabilidade

As empresas Basf, Bayer, Bracell, Braskem, Kordsa, Oxiteno, Paranapanema, Tronox e Unigel compartilharam as suas experiências exitosas na área socioambiental e suas contribuições para o desenvolvimento social, ambiental e econômico durante o recente Fórum de Sustentabilidade do Polo de Camaçari, promovido pelo Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic). Na oportunidade, o Cofic e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia (SDE) lançaram a campanha para proteção do Anel Florestal, que acontece de junho a dezembro, com o objetivo de envolver as comunidades próximas para a proteção e a manutenção da rica biodiversidade dessa reserva ambiental.

O Fórum de Sustentabilidade mostrou o quanto as práticas de sustentabilidade estão presentes nas empresas do complexo, sinalizando o comprometimento de cada uma com a qualidade de vida das pessoas e com a qualidade ambiental do planeta. “A gente constrói o futuro fazendo hoje”, afirmou Cristiana Xavier de Brito, diretora de Sustentabilidade e Relações Institucionais da Basf e presidente do Conselho Curador da Fundação Espaço Eco. Ela explicou que “os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, lançados em 2015 pela ONU, são excelentes diretrizes para os governos e empresas”, ressaltando que “a Basf, junto com 29 empresas, faz parte do Pacto Global da ONU para melhorar o desempenho de sustentabilidade em toda a cadeia química”.

Um dos exemplos da Basf foi a melhora significativa no volume de emissões de CO2 na América do Sul. “O impacto ocorreu principalmente por conta da Unidade de Recuperação de Energia (URE) do Complexo Acrílico de Camaçari. Realizamos melhorias para otimização de processos, que reduziram em 23% o consumo de gás natural”, contou a diretora. A Basf também é uma das pioneiras na adoção dos bioplásticos, obtido de matérias primas renováveis à base de milho, o que reduz a sua pegada de carbono, privilegia a economia circular, não gera resíduos e, ao final de sua vida útil, transforma-se em água, CO2 e fertilizantes.

Projetos da Bayer

Em sua apresentação, a Bayer destacou o papel do Comitê de Sustentabilidade da empresa, que é responsável pela gestão dos seus quatro projetos nesta área, cujas metas visam reduzir emissões (23% energias renováveis, 12% eficiência energética e carbono zero em 2030), resíduos (gestão de resíduos integrada, economia circular e zero aterro) e água (reduzir consumo em 20-30%). “Fome para ninguém e saúde para todos são os nossos objetivos principais”, sinalizou Rodrigo Pimentel, gerente de Saúde e Segurança da Bayer em Camaçari, citando entre as iniciativas realizadas, o Projeto Florescer, que teve o saldo de 8 hectares de área verde recuperados, com mais de 20 mil mudas de árvores nativas, inclusive a Camassary, que batiza o município onde a indústria está instalada. Com este projeto, a Bayer desenvolve também ações de educação ambiental, já tendo beneficiado mais de 400 estudantes e 2 mil pessoas.

A ecoeficiência operacional é um dos diferenciais da Braskem. “Nossa meta é fazer uma gestão mais eficiente do uso da água, com iniciativas de reuso e 100% de consumo de fontes seguras e evoluir significativamente em eficiência energética”, afirmou Nadja Silva Fontes, coordenadora da Engenharia de Processos Químicos na Bahia. Para isso, ela apresentou os macros objetivos da empresa e as principais iniciativas no âmbito local, todas alinhadas com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU. A utilização do que ela chamou de “transformação digital da Indústria 4.0” no monitoramento contribuiu para os resultados alcançados no Polo de Camaçari, como a redução de 833 GWh/ano de energia, volume equivalente ao consumo anual de energia elétrica de todo o estado de Roraima, que tem quase 600 mil habitantes, com a consequente diminuição de 247 mil toneladas/ano de CO2 no período, o que equivale a 8% das emissões anuais do complexo.

Inovações para o reuso de água e eficiência energética foram também o foco da apresentação do Senai Cimatec. “Para contribuir com inovações tecnológicas para as empresas é que foi instalado, há um ano e meio, o Senai Cimatec Park, no Polo de Camaçari”, disse Otanea Oliveira, gerente de Eficiência Energética e Química/Petroquímica do Senai Cimatec, ao apresentar, junto com o pesquisador Ewerton Calixto, o que a instituição pode fazer para a indústria 4.0. Entre as inovações disponíveis, eles citaram tecnologias para reuso de água, energia e simbiose industrial, abordando o conceito de Diagrama de Fontes para integração de água e energia entre plantas industriais, intensificação de processos, descarbonização e H2 verde.

“Garantir os recursos naturais para as futuras gerações é o que nos move”, afirmou Mário André Bernardo, gerente de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade da Tronox. Ele disse que “circularidade, tecnologias limpas e sustentabilidade fazem parte do dia a dia da empresa, que recentemente obteve o marco de oito anos de licença ambiental”, ressaltando que “são as pessoas que movem a sustentabilidade na Tronox”. O resultado é que nos últimos 14 anos o volume de emissões atmosféricas foi reduzido em 58% e o consumo de energia teve redução superior a 30%. Para isso, ele conta que foi decisiva a parceria com o Teclim/Universidade Federal da Bahia no desenvolvimento de tecnologias limpas, o que também contribuiu para a economia circular.

A sustentabilidade na Kordsa é parte inerente a seus processos fabris. “A Kordsa reforça 1 a cada 3 pneus de veículos, bem como 2 a cada 3 pneus de aeronaves globalmente”, disse Marcus Motta, analista de Meio Ambiente, para exemplificar o quanto a empresa está alinhada com os compromissos globais de sustentabilidade. Ele apresentou alguns dos projetos do que chamou “uma Kordsa sustentável para os novos tempos”, como o separador de tubetes - papelão, a utilização de contentores para evitar problemas de contaminação ambiental, o tratamento do efluente de látex, o reaproveitamento de pallets e a reutilização do efluente inorgânico.

A conservação e a biodiversidade na produção de celulose foram abordadas pela Bracell que, além de cuidar dos processos sustentáveis na sua operação, tem uma das maiores áreas de preservação do Litoral Norte da Bahia. “Nós temos 61.212 hectares de terras preservadas com vegetação nativa, o que representa 40% do total de áreas pertencentes à empresa”, disse Meryellen Baldim, coordenadora de Meio Ambiente e Certificações Florestais. Nessa área está a maior reserva particular de Mata Atlântica do Litoral Norte da Bahia, a Reserva Lontra, com o título de “Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica”, com 99,8% da vegetação em estágio avançado.

O Fórum de Sustentabilidade rendeu muitas reflexões entre os participantes e o público, com interação através dos chats, e ainda continua provocando muita gente. Para integrar-se a esse grupo que quer continuar pensando em sustentabilidade, a Basf lançou a comunidade [e]motion para compartilhamento de experiências. A mensagem é clara: “Mesmo que sigamos separados fisicamente, a tecnologia nos permite seguir em conexão, compartilhando conhecimento, unindo pessoas e colaborando para encontrar novos caminhos e soluções”. Para participar, basta acessar o site: https://onono.com.br/emotion/

COFIC DIGITAL - EMPRESAS PATROCINADORAS
PROGRAMAS COFIC
Rodovia BA 512, KM 1,5 - Polo Industrial de Camaçari - Camaçari - BA - CEP: 42816-440